Mudanças no protocolo para tratar dengue começam em Pernambuco

15 dezembro, 2011

Pernambuco será o primeiro estado do Brasil a adotar as mudanças determinadas pelo Ministério da Saúde para atender pacientes de dengue.
De acordo com as mudanças no Manual de Diagnóstico e Manejo Clínico, agora o teste do laço e o cartão de controle da doença serão obrigatórios para todos os pacientes com suspeita do quadro. Os treinamentos dos profissionais de hospitais públicos e particulares já começam na próxima semana segundo reportagem do NETV 2ª.
Representantes de todos os estados estão sendo convocados para uma reunião em Brasília, nesta quinta-feira (15) e sexta-feira (16), quando os detalhes das medidas serão anunciados. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, este ano foram confirmados 12.741 casos de dengue no estado.
No teste do laço, o braço do doente deverá ser pressionado por cinco minutos, e o médico observa o surgimento de pontos vermelhos. "A gente bota uma área equivalente a uma polegada. Se a gente tiver vinte micropetéqueas, pontinhos vermelhos que representam um tipo de sangramento, a gente considera como dado positivo. São pequenos do tamanho da ponta de uma caneta", afirma o médico Carlos Brito, consultor do Ministério da Saúde.  Se o teste do laço der positivo, o profissional de saúde deve consultar o protocolo que ficará afixado em todas as emergências públicas e particulares para definir a gravidade do paciente e o tratamento adequado.
O cartão da dengue, com o histórico do atendimento e os exames realizados, também passa a ser regra. “São destacados neste cartão os sinais de alarme. É informado aos pacientes que na presença destes sinais ele terá que voltar de imediato”, conta Carlos Brito. "Paciente que tem uma dor abdominal constante, vômitos persistentes, sensação de tontura e desmaio, falta de ar, sonolência excessiva, irritabilidade, a urina que diminui... Qualquer sangramento, mesmo que seja em pequena quantidade, no nariz ou gengiva, são alguns dos sinais de alarmes", detalha o médico.

As medidas foram tomadas pelo Ministério devido a erros básicos no atendimento aos casos da doença. Com as modificações, o governo quer tentar reduzir o número de mortes provocadas pela dengue. Hoje, 10% dos brasileiros que sofrem com a forma mais grave da doença morrem. O índice aceito pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de apenas 1%. Segundo o levantamento do Ministério, no atendimento aos pacientes, a hidratação é insuficiente, os exames de laboratórios não são solicitados com frequência e o resultado demora a chegar.
Segundo a superintendente de Regionalização em Saúde da Secretaria de Saúde de Pernambuco, Zelma Pessoa, o mau atendimento é a principal razão do alto número de mortes por dengue. “Quando a gente avalia cientificamente qual é a causa do aumento da letalidade não é a mudança do tipo de vírus isoladamente, não é a forma mais grave deles, nem as infecções sequenciais de vírus diferentes. É a qualidade da assistência básica”, afirmou

0 comentários:

Postar um comentário

Sua opinião é importante, porém a responsabilidade desta é totalmente sua podendo haver réplica quando se fizer necessário.Obrigado.

 
 
 

MARCADORES

. (1) 00 PARA ACS E ACE (1) 1.090 (1) Aedes aegypti e a sua piscina. (1) Alerta sobre a dengue. (11) Aline morreu de dengue. (1) Aos vereadores do Recife. (1) Arbovírus (1) Caramujos (1) carros abandonados na rua. (1) casos de denúncias (1) Chicungunha (1) Combate à dengue (196) Como eliminar... (12) concurso público (4) Conferência do Recife (2) Conjuntivite (1) convocação do sindicato (1) dengue e a homoterapia (3) dengue e a medicina (3) Dengue e Chikungunya (7) Dengue e Chikungunya e Zika (3) Dengue e Ciência (5) dengue e leptospirose. (1) Dengue e o Sindicato (1) dengue e tecnologia (2) Dengue em estado de epidemia. (1) dengue em recém-nascido (1) Dengue no sertão (2) Denúncias (4) Dicas de segurança (1) Educação e Saúde. (1) Efetivação de asaces e acss (1) Epidemia de Dengue (5) epidemiológia (2) Estado de abandono (1) Estatuto do Servidor. (1) febre amarela (1) Focos em terrenos baldios. (1) Focos perigosos de Dengue. (1) Gripes (1) Larvicidas (3) Legislações (4) leis (1) Levantamento de Índice Rápido.(LIRAa) (1) mapeamento de ruas (1) maximizar no combate a Dengue. (2) meio ambiente (2) Microcefalia (3) Nomeação (1) Novos Vírus (1) Oswaldo Cruz (1) Outras Endemias (12) Outras endemias. (1) PAGAMENTO DOS ACS E ACE. (1) piso nacional para agentes de saúde (1) PLANO DE CARGOS (1) Politica (10) Politica e Saúde. (70) PQA VS (1) Pragas Urbanas. (2) Prefeitura mantém a proposta de 4% (1) REPELENTE. (3) Resultado da DENGUE no estados (1) Risco de morte (1) Roedores (1) SALÁRIO (1) SALÁRIOS DE R$:1.090 (1) Saúde Pública (13) Servidores da PCR não aceitam 4% (1) Tecnologia no combate à Dengue. (8) UBV-Recife (1) Utilidade Pública (2) Vacinas (3) Vacinas. (1) Verdades e Mentiras (1) Vigilância Ambiental (4) Vigilância Sanitária (1) Viroses (3)

Arquivos

Sérgio Roberto. Tecnologia do Blogger.